voltar

O banco que virou barzinho

A Milita e o Henrique nos conheceram no Instagram, como acontece com muitos dos nossos clientes. Depois vieram conhecer a Casa Grim ao vivo e foi uma delícia. Papo bom, energia boa, essas coisas...

Desde então já restauramos alguns móveis para eles: sofás, mesa de jantar, cadeiras, até que chegou o maior desafio: o banco de quina. Foi bacana e, ao mesmo tempo, assustador quando o Henrique falou pra gente "pensar no que fazer com o móvel".

O banco tinha estilo de fazenda, por isso não foi fácil imaginar o que fazer com ele, especialmente porque, a essa altura, já sabíamos que o Henrique gostava mesmo das linhas clean modernistas. Então foi aos poucos, com muita pesquisa, desenho e conversa, que foi nascendo a ideia do barzinho.

Como foi a transformação:
• Aproveitamos o formato de quina do banco e o compartimento interno que já existia.
• Fizemos uma nova portinha, maior e de encaixe perfeito no vão, ampliando o acesso ao bar.
• Cortamos a madeira para tirar os "excessos" que davam ao móvel a cara de fazenda, criando um novo desenho nos pés que remetesse ao estilo modernista (o desenho do projeto está nas fotos abaixo).
• Na parte de dentro da portinha instalamos um painel de couro e uma guardinha de latão, formando uma simpática mesinha quando o bar é aberto.
• O interior foi todo espelhado e, por último, instalamos uma discreta luz de LED, criando um belo jogo de reflexos.

E assim, o projeto que no início nos deu frio na barriga foi aos poucos tomando forma, até que nasceu. Todo lindo.

  • antes
  • depois
O banco que virou barzinho
O banco que virou barzinho
O banco que virou barzinho
O banco que virou barzinho
O banco que virou barzinho
O banco que virou barzinho